Buscar

Tempestade Subtropical Yakecan

Temos acompanhado nos últimos dias notícias sobre o declínio de temperatura, ocorrência de neve e fortes rajadas de vento devido a formação de um ciclone na Costa da Região Sul do Brasil. Na noite da última segunda-feira (16/Maio/2022), o sistema responsável por essas condições atípicas foi definido como uma Tempestade Subtropical e nomeado como Yakecan - que em tupi-guarani significa "o som do céu" - pela Marinha do Brasil.


Graças às condições favoráveis como baixo cisalhamento de vento, temperatura da superfície do mar na região do ciclone, padrões sinóticos, o ciclone deve rumar para Oeste/Noroeste em médios níveis, forçando o deslocamento do sistema como um todo em uma trajetória incomum - a costa do Rio Grande do Sul.


Imagem no canal vermelho visível do GOES16 mostra a configuração do ciclone na manhã de 17/Maio.


O ciclone então deve se intensificar no decorrer dessa terça-feira (17/Maio/2022) enquanto se desloca para o RS, onde deve se manter como uma Tempestade Subtropical com ventos sustentados de 88 km/h apresentanto uma pequena possibilidade de transição para uma Tempestade Tropical.


Modelos meteorológicos divergem sobre a intensidade e trajetória do sistema: o GFS mostra o landfall (intersecção do centro superficial do ciclone com a linha costeira) na região de Mostarda/RS com pressão mínima de 988 hPa; o ECMWF e ICON colocam o centro superficial do ciclone passando bem próximo a costa (sem fazer o landfall) e com pressão mínima de 992 hPa e 988hPa, respectivamente para cada modelo.



A incursão de umidade do mar sobre uma camada de ar frio resulta precipitações invernais, como chuva congelada e neve. Esses fenômenos foram registrados já na segunda-feira (16/Maio/2022), com chuva congelada em São Joaquim/SC e neve na manhã de terça-feira (17/Maio) no Morro das Antenas, em Urupema.



Equipe Conexão Geoclima e Vai Chover?




1.127 visualizações0 comentário