Buscar
  • Bianca Leroiz

SIMULAÇÃO MOSTRA O QUE ACONTECE EM COLISÕES PLANETÁRIAS. VEJA;

Atualizado: Ago 27

Utilizando o supercomputador COSMA (Cosmology Machine), parte da instalação DiRAC High-Performance Computing em Durham, financiado pelo Conselho de Instalações de Ciência e Tecnologia (STFC) pesquisadores da Universidade de Durham e Universidade de Glasgow, no Reino Unido, realizaram um estudo a fim de mostrar o que aconteceria se enormes objetos viajando a diferentes velocidades colidissem com a Terra.


Mais de 100 simulações detalhadas de diferentes impactos gigantes em planetas semelhantes à Terra foram feitas alterando a velocidade e ângulo do impacto em cada ocasião. Com as simulações, os pesquisadores observaram que um impacto lento poderia causar uma menor perda atmosférica do que uma colisão rápida e direta.


Vincent Eke, co-autor do estudo diz que isso indica que a quantidade de atmosfera que pode ser perdida na colisão depende de quão sortudo o planeta será no momento do impacto.


Confira a simulação em 3D no vídeo abaixo:



"Sabemos que colisões planetárias podem causar efeitos dramáticos na atmosfera de um planeta, mas essa é a primeira vez que pudemos estudar as variações desses eventos violentos detalhadamente", explica Jacob Kegerreis, líder da pesquisa.

Acredita-se que a Lua se formou através de uma colisão entre o Planeta Terra e um corpo do tamanho de Marte, há aproximadamente 4,6 bilhões de anos. A simulação realizada pelos pesquisadores sugere que isso pode ter tirado até 50% da atmosfera inicial da Terra.


Essa pesquisa fornece uma visão maior sobre o que acontece durante colisões e deve permitir a realização de previsões sobre a erosão atmosférica causada por colisões de grandes objetos e pode fornecer dados para modelos de formação planetária.



Fonte : https://www.space.com/giantc-planetary-collisions-atmosphere-loss-video.html

664 visualizações
Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros

Conexão Geoclima © 2013 – 2020.

Todos os direitos reservados.