Buscar
  • Bianca Leroiz

NASA TRANSMITIRÁ AO VIVO POUSO NO ASTEROIDE BENNU NESTA TERÇA-FEIRA. SAIBA COMO ACOMPANHAR

A NASA transmitirá ao vivo a descida da nave espacial OSIRIS-REx à superfície do asteroide Bennu, hoje (19) à partir das 18h (horário de Brasília). A missão é um grande passo para a NASA, já que será a primeira vez que uma nave dos EUA tentará realizar uma missão desse tipo.


O momento da coleta é muito complexo e delicado e por isso, precisa ser executado com perfeição. O braço mecânico tocará a superfície por aproximadamente 10 segundos e disparará uma carga de nitrogênio pressurizado para perturbar a superfície e coletará uma amostra antes que a sonda se afaste. A coleta será na cratera Nightingale, que tem cerca de 16 metros de largura.


A sonda irá realizar a manobra TAG, sigla para “Touch-And-Go” (Tocar-e-sair), a nave não pousará de fato no Bennu, ela apenas tocará na superfície rochosa com um braço mecânico por apenas alguns segundos. Isso acontecerá no dia 20, e em seguida a nave voará de volta para a órbita do asteroide. Pelo menos 60 gramas de material serão coletados pelo braço que acompanha a sonda.


Local marcado com o "X" é onde a OSIRIS-REx irá pousar.

Imagem: NASA


A manobra TAG será transmitida na terça-feira (20), às 14h20 (horário de Brasília), onde serão mostrados detalhes sobre a descida da sonda e uma animação que mostrará as atividades em tempo real.


De acordo com a NASA, o asteroide contém material do início do Sistema Solar e pode representar uma verdadeira "cápsula do tempo" para poder compreender os precursores moleculares da vida.





Assim que iniciar a sua descida, um processo chamado Natural Feature Tracking (NFT) cuidará da navegação da OSIRIS-REx usando um banco de dados com as imagens de navegação em tempo real obtidas durante a descida. Essas imagens serão comparadas com os dados coletados pelo instrumento a bordo chamado Laser Altimeter (OLA), que ficou mapeando o Bennu durante o tempo que a nave orbitou o asteroide, permitindo criar o "mapa de perigo". Esse cruzamento das informações do banco de dados do OLA e as imagens obtidas durante a descida permitem o mapeamento da região de descida e contato da sonda com o asteroide e, caso haja possibilidade de colisão, o sistema abortará a missão de coleta. Caso a manobra não ofereça riscos, o procedimento prossegue e o mecanismo TAGSAM fará a coleta do material.



O grande desafio é o controle da missão daqui da Terra, o asteroide Bennu está tão longe que os sinais de transmissão entre a nave e o controle da NASA levarão 16 minutos para chegar. Assim que a nave se afastar, a equipe examinará as filmagens feitas pela câmera SamCam, que está acoplada no cabeçote de coletas e programado para filmar quando o contato for detectado pela nave.


COMO ASSISTIR?


Embora existem muitos desafios, todos esperam que o momento do pouso seja emocionante. Nós, felizmente, vamos conseguir acompanhar esse momento pelo canal oficial da NASA.




Após realizar a coleta, a OSIRIS-REx deixará o asteroide em 2021 e então começará sua viagem à Terra. Ela deverá chegar por aqui com o material coletado no dia 24 de setembro de 2023.



Fonte: Space Daily, Cnet, CanalTech

Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros

Conexão Geoclima © 2013 – 2020.

Todos os direitos reservados.