Buscar

O que são planetas anões?

Muito se fala de Plutão que já foi considerado o nono planeta do Sistema Solar e hoje é classificado como um planeta anão. Essa categoria foi criada pela União Astronômica Internacional em 2006, a partir do descobrimento de novos objetos semelhantes a Plutão e não tão semelhantes aos outros planetas.


Planetas anões são corpos celestes que orbitam o Sol, têm massa suficiente para terem formato esférico, não limparam a órbita ao seu redor e não são satélites naturais de outros planetas. Podemos entender também que eles são pequenos demais para serem considerados planetas propriamente ditos, mas são grandes demais para entrarem em outras categorias, como asteroides, por exemplo.


A diferença começa quando é falado "não limparam a órbita ao seu redor". Os planetas são capazes de atrair ou expulsar objetos menores que estejam em suas órbitas, algo que os planetas anões não conseguem fazer por não terem massa suficiente. Este foi o que critério que mais rendeu críticas de astrônomos: Alan Stern, investigador principal da missão New Horizons, argumentou que a Terra, Marte, Júpiter e Netuno não limparam completamente os detritos de suas zonas orbitais e, ao contrário de Plutão, são considerados planetas.


Stern ainda se referia a Plutão como planeta em 2011 — e considerava outros planetas anões, como Ceres, Eris e até grandes luas, como planetas. Entretanto, outros astrônomos levam em conta que, mesmo não tendo limpado suas órbitas, os grandes planetas do Sistema Solar têm controle completo dos outros objetos em suas zonas orbitais.

Exemplos de planetas anões mais conhecidos


Entre os planetas anões mais conhecidos, estão nomes como:

  • Plutão

  • Eris

  • Ceres

  • Makemake

  • Haumea

  • Hígia

  • 2007 OR10

  • Sedna

  • Quaoar

  • RR245

  • TG387

  • Orcus

  • Leleākūhonua

E abaixo, você conhece os mais famosos entre eles.


Plutão


Plutão foi descoberto em 1930 e manteve o título de “planeta” por décadas, o que o tornava nosso 9º vizinho em relação ao Sol.


Apesar de ter apenas 0,2% da massa da Terra e 10% da massa da Lua, Plutão tem gravidade suficiente para capturar cinco luas próprias — tanto que ele e a lua Caronte são considerados um sistema binário, por orbitarem um centro de massa comum.


O primeiro reconhecimento de Plutão foi realizado pela missão New Horizons. Lançada em 2006, a sonda sobrevoou o planeta anão e suas luas em 2015, realizando sua maior aproximação de Plutão no dia 14 de julho daquele ano. A missão revelou várias surpresas, como, por exemplo, a de que a superfície de Plutão não tinha tantas crateras quanto se esperava, e que o pequeno planeta abrigava montanhas de até 3,5 km.



Plutão e sua lua Caronte em registro feito pela New Horizons (Imagem: Reprodução/NASA)


Após anos de debates, discussões e uma votação com a participação de 424 astrônomos, foi no dia 24 de agosto de 2006 que a IAU estabeleceu que Plutão Solar foi "rebaixado" a planeta anão. A decisão da IAU veio após mudanças nos critérios para classificar planetas — um deles, por exemplo, estabelece que, para que um corpo seja considerado um planeta, ele deve ter "limpado" os detritos ao redor de sua órbita. Como Plutão não tem gravidade suficiente para isso, acabou categorizado como planeta anão.


Éris


Este planeta anão foi detectado em dados obtidos em outubro de 2003, mas foi somente em janeiro de 2005 que foi oficialmente descoberto pelo astrônomo Mike Brown e sua equipe. Éris está quase três vezes mais distante que nós que Plutão — tanto que ele pode até mesmo estar além do Cinturão de Kuiper, uma região de objetos congelados localizada além da órbita de Netuno.


O tamanho do planeta anão Éris foi tema de debates por muito tempo, e anteriormente, as evidências observacionais apontam para 2.250 km de diâmetro, enquanto outras observações diziam que ele tinha algo em torno de 2.550 km. Recentemente,seu tamanho foi calculado com uma margem de erro de apenas 12 km, e segundo os astrônomos, Éris tem 2.326 km de diâmetro, o que confirma a ideia de que seu tamanho seja praticamente o mesmo que o de Plutão.


Representação de Éris, planeta anão com superfície bastante refletiva (Imagem: Reprodução/ESO/L. Calçada and Nick Risinger)



Ceres


Em meio aos vários objetos que formam o Cinturão de Asteroides entre Marte e Júpiter, está o planeta anão Ceres, considerado o maior objeto presente por lá. Por muito tempo, ele foi considerado mais um asteroide da região, mas recebeu o título de planeta anão em 2006.