Buscar

FLASH ULTRAVIOLETA EM UMA ANÃ BRANCA INTRIGA ASTRÔNOMOS


Concepção artística mostra duas anãs-brancas se fundindo.

Imagem: Universidade de Warwick/Mark Garlick


Usando o Zwicky Transient Facility na Califórnia, os astrônomos descobriram a supernova em dezembro de 2019, apenas um dia após a explosão. O artigo foi publicado na Nature Astronomy.


O evento, ocorreu em uma galáxia relativamente próxima, localizada a 140 milhões de anos-luz da Terra, muito perto da constelação de Draco (Dragão) e foi classificada como Tipo Ia (pronuncia-se One-a). Supernovas desse tipo ocorrem quando estrelas anãs brancas superam o limite de 1,44 massas solares, inicia-se o processo de fusão de carbono e acabam explodindo em supernovas.


Para contextualizar, anãs brancas são estrelas em fase avançada da sua evolução. Com núcleo muito denso e composto majoritariamente por Oxigênio e Carbono, possui um envólucro de Hélio que, por sua vez, possui um extensa camada de Hidrogênio.


De modo geral, as Supernovas ocorrem quando o núcleo de uma estrela entra em colapso, causando uma explosão que é bilhões de vezes mais brilhante que o nosso Sol.



Concepção artística da fusão de duas anãs brancas formando uma Supernova tipo Ia.

Fonte: ESO


No caso desse evento, o flash da explosão que durou alguns dias, indica que algo dentro ou perto da anã branca estava muito quente. Como as anãs brancas se tornam cada vez mais frias à medida que envelhecem, o influxo de calor intrigou os astrônomos.


A maioria das supernovas não é tão quente, então você não recebe a radiação UV muito intensa. Algo incomum aconteceu com essa supernova para criar fenômeno quente, disse o astrofísico da Universidade Northwestern, Adam Miller, que liderou a pesquisa.


Possíveis causas de uma anã branca explodir com um flash UV:


- Duas anãs brancas se fundem, provocando uma explosão que emitem radiação UV.


- O material radioativo extremamente quente no núcleo da anã branca se mistura com suas camadas externas, fazendo com que a concha externa atinja temperaturas mais altas que o normal;


- Uma anã branca consome sua estrela companheira e se torna tão grande e instável que explode. Os materiais da anã branca e da estrela companheira colidem, causando um flash de emissão de UV;


A equipe de Miller acredita que essa pode ser uma pista importante para entender por que as anãs brancas explodem e como a energia escura acelera o cosmos, o que é um mistério de longa data.


Fonte: https://www.nature.com/articles/s41550-020-1028-0

81 visualizações
Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros

Conexão Geoclima © 2013 – 2020.

Todos os direitos reservados.