Buscar

COMETA RECÉM DESCOBERTO CRIA UM ESPETÁCULO NO CÉU

Na antiguidade, os eventos astronômicos eram interpretados como manifestações divinas, e os cometas, com a sua natureza passageira e intrigante era interpretada como um mau presságio. Com o avanço da astronomia e entendimento da dinâmica do Sistema Solar, esses corpos não se mostraram tão maus assim.

Recentemente a NASA, usando o telescópio espacial NEOWISE (acrônimo para Near-Earth Object Wide-filed Infrared Survey Explorer) detectou um cometa usando o infravermelho. Com sua descobertada datada em 27 de Março de 2020, o cometa C/2020 F3 (Neowise) fez sua aproximação máxima ao Sol no dia 03 de Julho, passando à uma distância de 43 milhões de quilômetros. Alcançará o ponto mais próximo da Terra no dia 23 de Julho, passando à 103 milhões de quilômetros.



Imagem processada para aumento de contraste foi registrada pelo instrumento WISPR à bordo da sonda Parker Solar Probe, da NASA, e mostra cauda de detritos (cauda mais larga) e a cauda causada pela pressão de radiação do Sol (cauda mais estreita).

Créditos: NASA/Johns Hopkins APL/Naval Research Lab/Parker Solar




Os cometas são corpos compostos principalmente por gelo e rochas que vagam pelo Sistema Solar em órbitas elípticas e inclinadas em relação ao plano orbital dos planetas. Esses corpos se destacam dos outros corpos menores do Sistema Solar graças as sua caudas imensas. Quando um objeto dessa natureza se aproxima do interior do Sistema Solar, o gelo em sua superfície e interior acaba sublimando (quando passa do estado sólido ao gasoso, sem liquefazer). Esse comportamento acaba gerando duas caudas - uma cauda de gases que são arrancados pela pressão de radiação solar e uma cauda de detritos que fica pelo caminho devido a inércia.


Infelizmente nós do Hemisfério Sul estamos impedidos de observar esse fenômeno por enquanto. O NEOWISE atualmente só é visível no Hemisfério Norte, logo antes do amanhecer na direção Norte. Para se localizar, o cometa passa agora pela constelação de, próximo à estrela Capella, na constelação do Cocheiro. No Brasil, apenas observadores do Nordeste tem condições de registrar o cometa, mesmo a olho nu.



Registro do cometa NEOWISE sobre o observatório Lick, na Califṕrnia, EUA.

Créditos na imagem.



O Cometa está se deslocando no céu em sentido oeste e sempre aparece em uma parte baixa do céu, próxima a linha do horizonte e já no crepúsculo do amanhecer.. Nos próximos dias ele será visto nas constelações de Ursa Maior e Lynx. Depois disso, o cometa sairá do nosso campo de visão, entrando na zona mais profunda do Sistema Solar. Com período de 6766 anos, essa será a única vez que nós veremos esse cometa passeando pela nossa vizinhança.

85 visualizações
Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros

Conexão Geoclima © 2013 – 2020.

Todos os direitos reservados.