Buscar

CHUVAS E TEMPORAIS ISOLADOS DE VERÃO RETORNAM GRADATIVAMENTE AO LONGO DA SEMANA

A instabilidade retorna em parte do Sul do Brasil neste início de semana. Na segunda-feira, a defluência no escoamento associado a interação entre a crista da Alta da Bolívia e um cavado a sul (com reflexo também nos médios níveis da atmosfera) vai favorecer o intenso movimento vertical ascendente sobre a metade sul do RS. Soma-se a isso o transporte de umidade do oceano para o continente nos baixos níveis da atmosfera. O intenso movimento ascendente desse ar úmido deve formar áreas de instabilidade sobre o Sul gaúcho, Campanha e Costa Doce, favorecendo condições para pancadas isoladas de chuva com trovoadas. De forma localizada, há risco para tempestades isoladas, acompanhadas de chuva intensa, rajadas fortes de vento e queda de granizo (não se descarta até mesmo granizo de tamanhos maiores). Apesar da possibilidade menor, não se descarta de forma mais isolada a formação de áreas de instabilidade próximas da grande Porto Alegre.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na terça-feira, esse padrão perturbado em médios e altos níveis se desloca um pouco mais norte, favorecendo condição para pancadas isoladas de chuva e tempestades isoladas, além das áreas da metade sul gaúcha (Sul, Campanha e Costa Doce), também nas demais regiões do RS e no Sul de SC.

A partir de quarta-feira, o escoamento nos médios e altos níveis se torna mais perturbado sobre o Sul do Brasil de forma geral, devido a propagação de novos cavados, o que aliado com o calor em superfície e o transporte de umidade do oceano em baixos níveis da atmosfera, favorece a formação de pancadas isoladas de chuva com trovoadas sobre todo Sul do Brasil. De forma localizada, há risco para temporais acompanhados de chuva intensa, ventos fortes e queda de granizo isolado.

Projeção de refletividade do modelo regional WRF entre essa segunda e a manhã da próxima quarta-feira. Os valores acima de 45/50 DBZ indicam risco potencial de temporais.

Ressalta-se que essa condição de instabilidade ao longo da semana é para formações isoladas, situação típica de verão, isto é, forma-se sobre um determinado ponto causando chuva enquanto em áreas próximas pode não se formar e nem registrar nada. Por esse motivo, de forma geral, apesar de não haver previsão de grandes acumulados de chuva no Sul do Brasil ao longo da semana, uma vez que as instabilidades não devem favorecer grandes eventos de chuva, de forma pontual não se descarta que algumas localidades tenham chuva mais volumosa e acumulados mais expressivos, especialmente no Sul do RS (próximo à fronteira com Uruguai). O mapa abaixo mostra os acumulados de chuva até a manhã do sábado (13/02) previsto pelo multimodel (próximas 180 horas). Instabilidades isoladas de verão requer constante monitoramento e acompanhamento das atualizações das condições de tempo.

Projeção de acumulado médio de chuva (mm) até a manhã do próximo sábado.

As temperaturas que estavam mais baixas devido a atuação de uma massa de ar seco e frio, começam a se elevar gradativamente ao longo da semana. Inicialmente se restringindo mais às áreas da faixa oeste do Sul e depois aquecendo mais nas demais regiões.


Previsão do tempo elaborada pelos meteorologista Alef Matos e Gabriel Cassol da Sigma Meteorologia.


1,734 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros

Conexão Geoclima © 2013 – 2021.

Todos os direitos reservados.