Buscar
  • Bianca Leroiz

Chuva de Meteoros Orionídeas acontece essa semana; Saiba como observar e as condições do tempo

Se você já teve a oportunidade de ver o Cometa Halley em 1986, você é de fato privilegiado! Caso não tenha visto, terá a oportunidade de ver alguns rastros do cometa. Todo ano, entre os dias 02 de Outubro e 07 de Novembro, acontece a Chuva de Meteoros Orionídeas, associada aos detritos deixados pela passagem do cometa Halley, mas é no dia 21 e 22 que uma quantidade maior de meteoros poderá ser observada.


Para saber mais sobre chuvas de meteoros clique aqui.


COMO OBSERVAR?


Para localizar a chuva de meteoros, basta olhar em direção da constelação de Orion. Essa constelação possui em seu centro as famosas “Três Marias”, é nesta constelação que o radiante da chuva de meteoros Orionídeas se encontra. Neste ano, a Lua estará na sua fase crescente e não estará presente no céu durante a chuva de meteoros, o que ajudará bastante na observação.



A constelação estará visível por volta das 23h30, mas o melhor momento para se observar será por volta das 04 horas da manhã quando a constelação irá cruzar o meridiano celeste - grande círculo imaginário na esfera celeste que passa pelo polos celestes norte e sul cruzando o zênite, ponto mais alto do céu, em relação ao observador.

De acordo com a International Meteor Organization (IMO), poderemos observar cerca de 20 meteoros por hora. Essa chuva possui incidência de meteoros muito rápidos, com velocidade média de 67 km/s. Não é necessário nenhum equipamento astronômico, apenas locais com céu limpo e longe da poluição luminosa.



CONDIÇÕES DO TEMPO PARA OBSERVAÇÃO


As condições do tempo para a visibilidade do evento astronômico não serão das melhores em muitas áreas do país.


Entre o Centro-Oeste e Sudeste, a formação de uma área com convergências de ventos úmidos e uma frente fria litorânea em dissipação, deve refletir na presença de nebulosidade, mesmo que ela seja formada por nuvens médias (Altostratus) e altas (Cirrostratus ) no Centro-Oeste, o que acaba atrapalhando na visualização do fenômeno.



Em quase toda a faixa leste da região Sul, as nuvens baixas, principalmente, poderão atrapalhar quem quer apreciar a chuva astronômica. Isso devido a ventos de leste soprando. Também vale essa condição para a costa do Nordeste do país. No Paraná quem estragará a “festa” serão as nuvens altas em praticamente todo o estado.



No Norte do país, boa parte da região terá a presença de nuvens altas, resultado de um anticiclone (ventos no sentido anti-horário) entre a camada média e alta da troposfera.


Vamos fazer um resumão das condições no mapa a seguir.







Boas observações!




Informações sobre as condições do tempo: Paulo Hames - Fundador e Meteorologista da Conexão GeoClima.


535 visualizações
Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros

Conexão Geoclima © 2013 – 2020.

Todos os direitos reservados.