Buscar
  • Bianca Leroiz

ASTRÔNOMOS RELATAM TER DETECTADO AMINOÁCIDO GLICINA NA ATMOSFERA DE VÊNUS

No mês passado, a presença de Fosfina na atmosfera de Vênus atraiu muita atenção. Agora, pesquisadores afirmam ter encontrado na atmosfera de venusiana o aminoácido glicina, que é um dos aminoácidos do código genético, sendo um dos componentes das proteínas dos seres vivos.


O artigo que recebeu o nome de Detecção do aminoácido glicina mais simples na atmosfera de Vênus ”, aguarda a revisão para que seja aceito e publicado em um periódico científico. Vale ressaltar que embora a glicina não seja uma bioassinatura, ela faz parte dos blocos de construção da vida como a conhecemos. A glicina foi uma das primeiras moléculas orgânicas que surgiram no nosso planeta e é importante para o desenvolvimento de proteínas e outros compostos biológicos.



A estrutura do aminoácido glicina.

Crédito da imagem: NEUROtiker


Para detectar a possível glicina em Vênus, pesquisadores liderados por Arijit Manna, do departamento de física da Midnapore College, na Índia, usaram o Atacama Large Millimeter / submillimeter Array (ALMA) usando espectroscopia. A glicina parece ter sido encontrada nas proximidades do equador venusiano, local onde o sinal é mais forte.


Para os pesquisadores, a detecção de glicina “pode ser a chave para a compreensão dos mecanismos de formação de moléculas prebióticas na atmosfera de Vênus.” A atmosfera superior do planeta "pode estar passando por quase o mesmo processo biológico que a Terra há bilhões de anos atrás". Ou seja, essa descoberta levanta ainda mais a dúvida quanto a algum processo biológico realmente acontecendo nas nuvens de Vênus.


Vênus é um planeta extremamente desacolhedor, com uma densa atmosfera ácida e temperaturas superficiais altas o suficiente para derreter uma espaçonave. Mas em determinadas altitudes da atmosfera de Vênus, a coisa muda de figura: entre cerca de 48 e 60 km acima da superfície, as temperaturas médias são análogas às que temos na superfície da Terra, variando entre -1 °C e 93 °C. Por causa dessas temperaturas, há hipóteses que de que algum tipo de vida pode sobreviver nessas regiões.

O estudo, como dito anteriormente, ainda aguarda revisão para ser publicado oficialmente, então, ainda é cedo para afirmar a existência da glicina. Por exemplo, o sinal espectroscópico da glicina é muito próximo ao do óxido de enxofre, então pode ser possível que haja um erro na detecção da glicina. Além do mais, a glicina é o mais simples dos aminoácidos e foi encontrada em outros lugares, como em meteoritos e cometas, onde não há nenhuma esperança de vida. Mas, também, nunca foi encontrada em nenhuma outro planeta, o que é de fato muito surpreendente ser detectado em um planeta como Vênus.

Se confirmada a presença, aumenta ainda mais o mistério, e é outro desenvolvimento intrigante na busca pela compreensão do surgimento da vida.



Fonte: Universe Today, Canaltech

148 visualizações0 comentário
Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros

Conexão Geoclima © 2013 – 2021.

Todos os direitos reservados.