Buscar
  • Bianca Leroiz

Qual a melhor época do ano para observar os planetas a olho nu?

O céu noturno está sempre em constante mudança, sendo sempre possível observarmos estrelas, constelações, a Lua, meteoros e até mesmo outros planetas, como Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. E nesta matéria iremos falar um pouco deles e qual a melhor época de observação durante o ano.


Vênus é segundo planeta do Sistema Solar e o mais brilhante do céu noturno atingindo uma magnitude aparente de -4,6, ele perde apenas para o brilho da Lua. Em Maio, o planeta será visível após o pôr do Sol na região Oeste. À medida que se move em sua órbita, Vénus apresenta, na visão telescópica, fases como as da Lua. Nas fases de Vênus, o planeta apresenta uma pequena imagem "cheia" quando está no lado oposto do Sol. Ele mostra uma maior fase "quarto" quando está em sua máxima elongação em relação ao Sol.



Fases do planeta Vênus. (Imagem: Reprodução/Statis Kalyvas)


Marte é um dos planetas mais fáceis de ser observado a olho nu e nos proporciona belíssimos espetáculos no céu praticamente o ano todo. O planeta faz várias conjunções com a Lua, o que torna ainda mais fácil a observação. No dia 19 ele faz uma bela conjunção com a Lua crescente. a sua magnitude aparente em oposição ao Sol pode variar de -3,0 a -1,4. O brilho mínimo é de magnitude 1,6, quando o planeta está em conjunção com o Sol.



Conjunção da Lua e Marte no dia 19 de Março em Pedreira/SP. Não difere tanto em outras regiões. (Imagem: Reprodução/Stellarium/Conexão GeoClima/Bianca Leroiz)


Além dessa conjunção, teremos outras:

12 e 13 de Junho - Conjunção Lua, Vênus e Marte

11 a 14 de Julho -Conjunção Lua, Vênus e Marte

21 a 24 de Julho - Conjunção Vênus, Marte e a estrela Regulus

17 a 19 de Agosto - Conjunção Mercúrio e Marte

31 de Dezembro - Conjunção Lua, Marte e a estrela Antares


Depois de Vênus, Júpiter é o planeta mais brilhante do céu noturno, o gigante gasoso é visível durante todo o inverno aqui no Brasil e em todo o Hemisfério Sul. Nascendo sempre nas madrugas, é uma ótima oportunidade para observar o gigante, e se caso você possuir algum equipamento astronômico, pode observar suas 4 maiores luas e sua turbulenta atmosfera. Dependendo da sua posição em relação à Terra, a magnitude visual do planeta varia entre -2,8 em oposição, e -1,6, durante conjunção com o Sol.


(Imagem: NASA, ESA, and A. Simon)


Por último, Saturno, o senhor dos anéis é fiel ao seu companheiro Júpiter e sempre se encontra nas suas proximidades. No final de dezembro os gigantes fizeram a maior aproximação em séculos, evento que não acontecia desde Idade Média. Saturno é visível durante todo o inverno no Brasil e em todo o Hemisfério Sul e atualmente está nascendo na constelação de Capricórnio. O planeta apresenta um brilho comparável ao das estrelas mais brilhantes da esfera celeste, apresentando uma magnitude média de aproximadamente 1 e coloração amarelada. Contudo, quando ocorre a oposição, ou seja, a Terra fica posicionada entre Saturno e o Sol, seu brilho é máximo, atingindo uma magnitude aparente de -0,4. De fato a variação do brilho aparente do planeta depende principalmente da orientação dos anéis em relação ao observador, sendo que, quando estão voltados para a Terra, os anéis são responsáveis por dois terços da luz refletida.



Mosaico de Saturno em cor natural feito pela sonda Cassini. (Imagem: NASA / JPL / Space Science Institute)


114 visualizações0 comentário
Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros

Conexão Geoclima © 2013 – 2021.

Todos os direitos reservados.