Buscar

Imagem detalhada do local de pouso da Apollo 15 produzida por radar planetário

Uma equipe do Green Bank Observatory (GBO), juntamente com a outras instituições, realizaram um teste para provar que o novo sistema do radiotelescópio Green Bank (GBT) é capaz de captar imagens de alta resolução no espaço. E o resultado foi nada mais nada menos que o local de pouso da missão Apollo 15, de 1971, com uma riqueza de detalhes incrível.




O novo transmissor, desenvolvido pela Raytheon Intelligence & Space, conseguiu emitir um sinal de radar o local de pouso da missão Apollo 15, direcionado à pequena área com diâmetro de 3 mil quilômetros, localizada a milhares de quilômetros de distância da Terra. Quando o sinal foi refletido de volta, foi recebido pelos radiotelescópios do observatório Very Long Baseline Array.


E o resultado é a imagem abaixo:



A imagem do local de pouso da Apollo 15 produzida pelo radar (Imagem: Reprodução/NRAO/GBO/Raytheon/NSF/AUI)


Na imagem, podemos ver a cratera Hadley C, que mede aproximadamente 6 km, passando na região de Hadley Rille, considerado um tubo de lava destruído.



(Imagem: Reprodução/NRAO/GBO/Raytheon/NSF/AUI)


Esse teste só foi possível graças a dois anos de esforço da equipe, e é claro, da tecnologia. Com a ferramenta, é possível ver as estruturas na superfície lunar, com maiores comprimentos de onda.


“Já participamos antes em estudos de radar do Sistema Solar, mas transformar o GBT em um transmissor de radar planetário vai expandir nossa habilidade de buscar novas linhas de pesquisa”, comentou Tony Beasley, diretor do National Radio Astronomy Observatory.


O objetivo é criar sistema de radares com 500 kw de potência, capaz de produzir imagens ainda mais detalhadas dos objetos no Sistema Solar, e isso pode ajudar os cientistas a compreender ainda mais o Sistema Solar.


Fonte: ScienceAlert, NRAO, Canaltech

174 visualizações0 comentário