Buscar
  • Bianca Leroiz

Com dados da TESS, NASA mostra vídeo de buraco negro destruindo uma estrela

Buracos negros são de fato uma das coisas mais intrigantes no universo. Em geral, são corpos que possuem um campo gravitacional tão intenso que atrai tudo o que está próximo dele. Muitas das vezes, nem mesmo a luz consegue escapar.




A NASA e a Universidade Estadual de Ohio mostra em um vídeo o que é o disco de acreção – o disco de matéria que se forma em torno do buraco negro que a engole. Com dados obtidos pelo All-Sky Automated Survey for Supernovae (ASAS-SN) a NASA gerou um vídeo que mostra a violenta alimentação de um buraco negro. O vídeo foi publicado no Youtube em Setembro de 2019.


Veja o vídeo:



A OBSERVAÇÃO


O buraco negro em questão está a 375 milhões de anos-luz de distância, e localiza-se no centro da galáxia 2MASX J07001137-6602251, na constelação de Volans, com uma massa equivalente a aproximadamente seis milhões de sóis.


Esse fenômeno, onde uma estrela se aproxima de um buraco negro, é chamado de Evento de perturbação de Marés, ou TDE, na sigla em inglês.


Na época, o evento coincidiu pois ocorreu no mesmo local em que o TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite), um satélite da NASA e do MIT utilizado para caçar exoplanetas, fazia observações. Quando o ASAS-SN olhava para a região, notou um sinal que só podia ser esse fenômeno. O TESS possuía dados de oito dias anteriores, e assim, os astrônomos puderam verificar o pico da luminosidade. Ainda depois, eles ainda utilizaram dados do espectrômetro de pesquisa de baixa dispersão 3 (LDSS-3), instrumento da dupla de telescópios Magalhães, localizados no Chile.


"Os dados do TESS permitiram-nos ver exatamente quando é que esse evento destrutivo a que chamamos ASASSN-19bt começou a ficar mais brilhante, algo que nunca fomos capazes de fazer antes", refere Thomas Holoien, membro do Observatório de Carnegie, em Pasadena, na Califórnia, citado no comunicado da NASA, em 2019.


Os resultados do estudo foram publicados no The Astrophysical Journal.


Fonte: NASA

1,755 visualizações0 comentário
Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros