Buscar

Como Júpiter não se tornou uma estrela?


O planeta Júpiter. Crédito: NASA/JPL-Caltech


Júpiter insanamente grande comparado aos outros planetas do Sistema Solar. O gigante gasoso possui uma composição parecida com a do Sol e uma massa consideravelmente grande, mas isso é uma questão bastante complexa.


Se pegarmos as composições de Júpiter e nosso Sol, veremos que Júpiter é composto de 90% de Hidrogênio e 10% de Hélio, enquanto nosso Sol é composto de 73% de Hidrogênio, e 27% de Hélio. Além disso, se juntarmos a massa de todos os planetas do Sistema Solar, Júpiter ainda terá 2,5 vezes de massa a mais.


Comparação da Terra e Júpiter. Crédito: NASA.


Porém, aqui é importante definir o que é uma estrela. As estrelas são corpos que possuem tanta massa que seus núcleos esquentam tanto que realizam fusão nuclear. Porém, existem vários tipos de estrelas. Elas são definidas pela quantidade de massa que possuem.


O nosso Sol faz a fusão de Hidrogênio em Hélio. Essa categoria é chamada de estrelas de sequência principal. O sol é tão massivo que possui 99,8% de toda massa de seu Sistema Solar inteiro. Estrelas que possuem de 0,075 a 0,5 a massa de nosso Sol, são chamadas de Anãs Vermelhas e é o tipo de estrela mais abundante na vizinhança da nossa estrela. E também fazem fusão de Hidrogênio em Hélio, por isso, também são consideradas estrelas de sequencia principal.


Porém, existe uma subcategoria de estrelas, chamada de Anã Marrom. A massa dela é tão baixa, que seu núcleo apenas conseguem realizar a fusão de Hidrogênio em Deutério e também Lítio.


É essa subcategoria de estrelas, que Júpiter poderia ser comparado. Isso porque essas estrelas possuem 3x a massa do nosso gigante gasoso. Essa seria a diferença entre anãs marrons e gigantes gasosos. Podemos afirmar, portanto, que Júpiter, por 3x a sua massa, não se tornou uma anã marrom.


É interessante destacar, que a quantidade de massa, não se relaciona com o tamanho do corpo. Júpiter é maior que várias estrelas conhecidas, mas sua massa e densidade são infinitamente menores. Tal como Saturno, que se colocasse numa piscina, iria simplesmente flutuar. E é interessante, pois por causa de seu tamanho e força gravitacional, eles possuem seu próprio sistema de corpos celestes, Júpiter possuindo 79 satélites e Saturno 82 satélites naturais, ou luas. Também por conta disso, formam uma barreira de proteção contra meteoros e cometas que entram em órbita com o Sol, protegendo assim nosso planeta azul.



Fonte: Socientifica

88 visualizações0 comentário