Buscar
  • Bianca Leroiz

Cometa recém descoberto promete criar um espetáculo no céu em meados de Dezembro

O ano de 2021 mal começou e já temos um cometa recém descoberto: o C/2021 A1 (Leonard). As primeiras imagens obtidas do cometa foi no dia 03 de Janeiro pelo telescópio Catalina Sky Survey de 1,5 metro no Arizona, EUA e foi confirmado oficialmente no dia 10 de Janeiro.




Quando o cometa foi visto pela primeira vez ele estava localizado na constelação de Canis Venatici e tinha brilho de cerca de +19 de magnitude. Entretanto, os astrônomos perceberam que ele já tinha sido capturado em diversas imagens desde Abril de 2020, o que facilitou para traçarem sua órbita. Foi notado através de modelos de computador que o cometa possui indícios de se originar na Nuvem de Oort, uma nuvem com corpos planetesimais compostos de gelo e gases congelados.



Órbita do Cometa C/2021 A1 (Leonard).

Imagem: JPL/NASA


Por enquanto, ainda não é possível visualizar o cometa a olho nu e até mesmo por telescópio, pois o seu brilho ainda está muito tênue. A expectativa é que quando ele se aproximar do Sol, ele se torne tão brilhante que possa ser visto a olho nu, o que deve acontecer em meados de Dezembro, logo após o pôr do sol, na direção da Constelação de Sagitário.


Ainda não é possível dizer com exatidão o quão brilhante ele poderá se tornar. Mas há quem acredite que pode chegar à magnitude zero, um brilho equivalente ao de Sírius, a estrela mais luminosa do céu noturno.



Gráfico da curva de brilho esperada para o cometa C/2021 A1 (Leonard). (Imagem: Reprodução/Internet)



Vale ressaltar que os cometas são muitos imprevisíveis, e ao se aproximarem do Sol, podem se tornar mais luminosas que o previsto. Por outro lado, ele pode se fragmentar e desaparecer.



Fragmentação do cometa C/2019 Y4 (Atlas) registrado pelo Telescópio Hubble em abril de 2020. Créditos: Fragmentação do cometa C-2019. Créditos: Nasa/Esa/D. Jewitt (Ucla), Quanzhi Ye (University of Maryland)


Se o que foi constatado até o momento se confirmar, no dia 18 de Dezembro, o cometa passará a apenas 4 milhões de km de Vênus, o que formará uma belíssima conjunção e oportunidade para os astrofotógrafos. Tudo isso no início da noite. A tendência é que ele perca cada vez mais seu brilho a medida que sobe no céu em relação ao horizonte a cada dia até o final de Dezembro.


Cometa C/2021 A1 no céu de São Paulo no dia 18 de Dezembro de 2021 às 20:02. (Imagem: Bianca Leroiz/Conexão GeoClima/Stellarium)


E não há nenhum risco de colisão ou aproximação significativa em sua órbita, então, se tudo ocorrer como o previsto, iremos presenciar um belo espetáculo no céu.




Fonte: JPL/NASA, Minor Planet Center, Olhar Digital

342 visualizações0 comentário
Mais Soluções - Corretora de Seguros
Mais Soluções - Corretora de Seguros

Conexão Geoclima © 2013 – 2021.

Todos os direitos reservados.